Os crimes contra a honra são os ilícitos mais comuns cometidos na rede mundial de computadores, superando até mesmo o estelionato. Dentre os meios para a consumação de tais crimes, temos o roubo de identidade (criação de perfis falso, por exemplo) , comunidades e postagens com o intuito de denegrir a imagem de uma ou mais pessoas.

As falsas acusações são das mais diversas: desde o cometimento de crimes, até adultério e prostituição.

O que pouca gente sabe, ou se tem conhecimento prefere acreditar que está a salvo da Justiça por conta de profiles falsos ou, como pregava um notório advogado porta-de-cadeia de Vitória, que a Justiça brasileira não teria competência para julgar crimes cometidos em serviços como o Orkut, facebook, dentre outros, já que os servidores estão hospedados fora de território nacional, é que os crimes contra a honra, como a calúnia e a difamação podem levar o sujeito para a cadeia ou, no mínimo, sujeitá-lo a uma pena de prestação de serviços à comunidade e, claro, a reparação pelo dano moral causado à vítima.

Como vivemos em um país democrático, é sabido por todos, mesmo por idiotas que nada mais têm à fazer de suas vidas medíocres do quee ficar em comunidades de relacionamento difamando e caluniando outras pessoas, que ninguém pode ser considerado culpado de um crime antes de sentença transitada em julgado, ou seja, até que esgotem-se todos o recursos processuais cabíveis qualquer pessoa acusada de crime é, por default, considerada inocente.

Por outro lado, nos crimes contra a honra, em especial no caso da calúnia (imputar falsamente prática de crime a alguém) e a difamação (atribuir a alguém fato determinado ofensivo à sua reputação, honra objetiva) são tipos penais distintos, sendo que no primeiro há a chamada “exceção da verdade”, ou seja, o acusador tem o direito de fazer prova das acusações e no segundo não existe isto, já que no caso da difamação não importa se o fato é ou não verdadeiro, não havendo, portanto, a oportunidade de se provar que a notícia difamadora é verdadeira ou não.

Os mais afobados, em especial os caluniadores e difamadores de carteirinha, devem estar pensando que “provar” a prática de um crime é meramente dar notícias de que “ouviu dizer” ou que “fulano foi lesado por sicrano”.

Não é assim.

A exigência é que a prova seja incontestável, que salte aos olhos o cometimento do crime, para que o caluniador fique isento de pena. Nem mesmo inquéritos em andamento ou que já tenham sido encerrados servem para tanto, já que de acordo com o Supremo Tribunal Federal tais eventos, antes de sentença condenatória irrecorrível, não se prestam a provar a prática de crime visto o principiuo constitucional da presunção de inocência.

Portanto, acusar alguém de crime ou sair por ai difamando as pessoas é, praticamente, um “tiro no pé”, já que a tendência é que o caluniador/difamador vá para o banco dos réus, incluindo aquele que ajudou, por qualquer meio, de boa ou má fé, a propagação da calúnia e/ou da difamação.No meio umbandista, ainda mais com as centenas de comunidades e listas de discussões que existem, o que mais vemos, diariamente, é a prática de crimes contra a honra.

O mais engraçado é que os que se arvoram defensores da Umbanda e de seus reais fundamentos, falam de ética e todo aquele discurso hipócrita, não se fazem de rogados em cometer CRIMES com a justificativa de estar combatendo a prática de outros crimes.

Ao que parece, estas pessoas, certamente mentalmente desestruturadas e incapazes, revogaram, por conta própria, os dispositivos legais que definem como ILÍCITO PENAL a prática da calúnia, da injúria e da difamação.

O cometimento de supostos crimes por parte de outrem, pelo jeito, justifica que eles mesmo cometam crimes reais, com provas fartas, como é o caso de algumas comunidades do Orkut.

Ao que parece, alguns imbecis, achando que eu ficaria quieto ou me intimidaria frente a nomes famosos e de informação embusteiras, como é o caso de um certo “mestre de iniciação” de Belo Horizonte que afirmou que o seu terreiro é frequentado por juizes, desembargadores, delegados, dentre outras autoridades, e que pro isto não tomaria providências judiciais contra o mesmo e a sua quadrilha.

Sim: QUADRILHA.

O Código Penal prevê que quando mais de três pessoas se reunem com o fim de cometer crimes, seja este qual for, comete o crime de quadrilha ou bando (art. 288, CP). Isto inclui, obviamente, a prática de crimes contra a honra. No caso de comunidades do Orkut, em especial as que estão na minha mira, pelo menos 5 pessoas serão indiciadas também pelo crime de quadrilha, visto que está clara a intenção de propósitos destes sujeitos para o cometimento de crimes.

Com a ajuda de alguns amigos, estou fazendo uma varredura em todas as comunidades umbandistas do Orkut e de outros sites de relacionamento, assim como em listas de discussões, comunidades NING, etc. Todo o material calunioso, difamatório, injurioso, que vem sendo encontrado está sendo devidamente impresso, os perfis de seus autores identificados, para que as providências legais, na seara civel e criminal, sejam tomadas.

Vou gastar o que tenho e o que não tenho para responsabilizar judicialmente toda e qualquer pessoas, não importando quem seja ou onde esteja, por atentados à minha honra e a minha moral. Tais práticas demonstram não somente o MAU CARÁTER daqueles que se dizem umbandistas, que se arvoraram de paladinos, vigilantes da “Banda”, mas não passam de QUADRILHEIROS covardes que se aproveitam do anonimato e escondem por detrás de comunidades para prática de crimes.

De uma certa forma fico até feliz com este tipo de acontecimento, já que não se atira pedras em árvores que não dão frutos. Estas pessoas, covardes pusilânimes, com suas reiteradas investidas contra a minha pessoa demonstram simplesmente MEDO, já que minha idéias incomodam muitos por ai, em especial “mestres” que se travestem para incorporar “pomba-giras” e outros que vivem a transmitir seus “axés” através de ritos sexuais tântricos.

Será muito interessante quando Mestre Kariumá ver o “print” dae uma conversa que tive com um seu “dileto discípulo” no msn, onde o mesmo afirma coisas bem desabonadoras à ele e à sua esposa Marielza e hoje, na maior hipocrisia, fica em comunidades virtuais cantando loas ao Mestre, pedindo bençãos e tudo mais.

Tenho gravado no msn a afirmação de tal “mestre” aqui de Belo Horizonte de que Mestre Kariumá e Mãe Marielza cobraram uma quantia extorsiva do sujeito para coroá-lo “Mestre de Iniciação” e que mesmo com recibos bancários em mãos (valor em torno de R$ 2.000,00 à época) vivia sendo cobrado, até o ponto de que romperam relações, isto antes de Mestre Kariumá sair de Belo Horizonte e ir para a cidade de Ouro Branco.

E as revelações via msn do tal “mestre” não param por ai, mas deixarei o resto para os autos do processo criminal que movo contra o sujeito e sua quadrilha de desocupados e caluniadores.

Vou até a última instância deste pais para ver os responsáveis por estes acintes contra a minha pessoas, sejam eles “mestres” “ogãs”, “alabês”, “discípulos”, puxa-sacos em geral, de quem ou de onde for. Não me intimido com faculdades, nomes pomposos, notoriedade, poder financeiro, conchavos. Se esta trupe esfarrapada fosse, realmente, alguma coisa, há muito já teriam me silenciado ou me colocado na cadeia, mas até hoje não conseguiram nem uma coisa e muito menos a outra.

Tenho postado neste blog minhas vitórias na Justiça, exatamente como uma forma de aviso aos incautos desocupados de que não tenho o menor problema para processar quem quer que seja, tanto na esfera cível quanto criminal. Não entro em ações judiciais para perder, assim como não assino representações criminais sem ter a certeza de que, realmente, algum crime foi cometido e, muito menos, deixo processos parados, ao sabor da corrente burocrática e lenta do Estado.

Não pensem que farei como Rubens Saraceni, que equivocadamente e sem provas, acusou a OICD e Rivas Neto de crime e, depois, teve de desistir da ação e ainda pedir desculpas, como foi fartamente divulgado há pouco tempo em toda a rede.

Não.

Como eu disse, só aciono o Poder Judiciário com provas nas mãos, com a certeza que aqueles que acuso serão, no mínimo, condenados a pagar vultuosas indenizações à mim.

Não gasto tempo, papel e tinta para fazer nenhum tipo de retratação ou acordo.

Podem ter certeza que vou criar DOR DE CABEÇA para muita gente, inclusive Ordens, Mestres, Faculdades, Alabês (e seu advogado), donos de comunidades e listas de discussões e o diabo a quatro.

Existe um velho ditado mongol que diz o seguinte:

“Não despreze um filhoite fraco ou ferido, já que ele pode se tornar um tigre feroz”.

O segundo erro de você, idiotas caluniadores e difamadores, foi achar que eu estava fora de combate ou que me intimidaria com “Tecas” mandando eu enfiar violas em saco, “Teds” com suas afetações homossexuais, “Luizes” com sua verbooragia ácida, “Robertos” com suas postagens idiotas.

São tão imbecis que mantêm um bogus daquele que chamam de “LG” dentro das próprias comunidades e entre seus amigos do Orkut. Ou acham que a tal “Maria da Conceição” é uma pessoa real?

O primeiro erro de vocês, no entanto, foi ter se metido comigo.

Espero que estejam preparados, porque eu estou… muito bem preparado.

Agora espero as postagem dizendo que não estão com medo, que não se intimidam e todo aquele “blá, blá, blá” de imbecis que acham que estão livres do longo braço da Justiça por conta da covardia do anonimato que redes de relacionamento oferecem.

No entanto não estou interessados em pegar todo, já que o grande ícone de você, o Sr. Tadeu Eustáquio tem profile verdadeiros, nome, sobrenome, cpf, endereço conhecido. Será que ele segurará a “bronca” na Justiça sozinho, sem delatar seus comparsas? Ou o Sr. Luiz Cláudio, que tb tem profile verdadeiro e endereço conhecido?

Talvez a idiota que se auto-denomina “Fênix”, conte com a ajuda da OICD, instituição que ela afirma falar em nome, para salvá-la dos procedimentos criminais e civis que estão em suas costas.

Temos também “Treme-Terra”, dentre outros bogus do advogado de porta de cadeia de Vila Velha, além de seus seguidores, entre eles uma alcoolatra inveterada de São Paulo.

Tentei me manter longe deste tipo de situação, mas você, vermes parasitas, umbandistas de mentirinha, não me deixam em paz. Portanto, espero que estejam prontos para toda a chateação de responder processos criminais e civis.

Vou usar este blog e colocar número de processos e cada decisão que houver nos mesmos para que toda a comunidade umbandista saiba quem, realmente, são os bandidos do santé.

Anúncios