Faz algum tempo escolhi me retrair dentro do Movimento Umbandista.

Como o nascer e o pôr-do-sol, a comunidade umbandista (e não a Umbanda) tem sido por demais previsível para mim, sendo que nada muda, são sempre os mesmos assuntos, a mesma hipocrisia, a mesma bajulação de todos os lados, os mesmos assuntos infrutíferos.

Por outro lado, já faz algum tempo que vejo meu nome, tal como osso, na boca de muitos vira-latas que se dizem umbandistas ou pretendem ser, portanto, por um e-mail de um “amigo” que recebi hoje, resolvi que devo deixar algumas coisas claras e públicas por aqui.

A primeira delas é o seguinte: não vivo da Umbanda.

Sou uma pessoa estudada, dono de uma empresa de informática que vai muito bem, obrigado. Não preciso cobrar trabalhos ou viver de “salvas”.

Se alguém, de livre e espontânea vontade, me oferece algum tipo de “salva” por algo que foi resolvido por meu intermédio é uma questão pessoal de cada um. Só depois não me venha, como aconteceu recentemente, dar uma de “santo”, de “enganado”, enquanto está vivendo em uma casa grande e confortável que, com certeza, não fosse a interferência do mundo espiritual, estaria nas mãos de outra pessoa.

De toda forma, e isto serve para qualquer pessoa, quando se mostrar grato por uma coisa e evocar a Lei de Salva por uma graça que disse receber, por favor, seja uma pessoa digna e não venha cobrar aquilo que deu por sua livre e espontânea vontade, ainda mais se você posa como uma pessoa acima de qualquer suspeita, honesta e íntegra.

Em falar nisto, nunca aponte o seu dedo para ninguém. Não se esquece que outros quatro dedos estão apontados para si mesmo.

Não abordo ninguém, não procuro discípulos, clientes, alunos. Não promovo workshops, encontros, iniciações e, ao menos, coloco meu email de contato aqui. As pessoas que conseguem chegar à mim através de email ou telefone, com certeza tiveram de fazer um trabalho de detetive, se bem que meu endereço e telefone são públicos. Estão na lista telefônica.

Portanto, se você ficar diligenciando por este enorme mundo internético e conseguir me contactar e, se por sorte, eu confiar em você e manter contato, esteja certo que no futuro não irá dizer que foi abordado por mim. Tenha em mente que você me procurou, portanto, quem foi abordado fui eu e não você.

Por mais que você tenha uma namorada, noiva, esposa, amante, que considere linda, desejável, esteja certo que eu não estou minimamente interessado nela. Não tenho o hábito de comer restos de ninguém… tenho o péssimo defeito de ser exclusivista. Por mais que ela se considere a última azeitona do martini ou o último camarão do acarajé, com certeza o seu resto não irá me chamar a atenção. Além de exclusivista, tenho um padrão de qualidade muito elevado, diferente de alguns “mestres” por ai que andam passando seus “axés” através de sexo ritual e práticas tântricas.

Portanto, se um dia eu disser ter afinidades com alguém, não pense que isto significa querer levar sua mulher para a cama. Isto serve para um pessoalzinho por ai, não para mim. Se me julga capaz disto é porque você mesmo o é: o bom julgador por si julga. Portanto não me julgue por si mesmo.

Não me intimido com cargo, patente, posição social, tamanho ou seja lá o que for, de ninguém.

Não temo advogados, policiais, juizes, promotores ou seja lá o que valha. Aliás, já tomei (e ainda tomo) muito café com muitos deles, inclusive com oficiais da Polícia Militar, do Exército e Altas Autoridades do judiciário. A sua farda, a sua toga, o seu diploma, não dizem absolutamente nada para mim. Nada devo à Polícia ou à Justiça.

Aliás, não devo nada à ninguém.

Ando com a minha cabeça erguida, não desvio meu caminho ou troco de passeio para não cruzar com qualquer pessoa. Se você, maricas, achar que lhe devo alguma coisa está demorando para me processar. Ficar usando de comunidades virtuais, listas de discussões e destilando veneno com acusações falsa, infundadas, calúnias e difamações, não irá resolver o seu problema, se é que ele existe.

Você me calunia, me difama, “denuncia” e não me processou por qual motivo? Nao tem dinheiro par pagar advogado, então lance mão da defensoria pública ou do Juizado Especial. Mas na verdade você não faz isto por um simples motivo: não tem como e nem porquê me processar. No fundo, seu caluniador de bosta, nada de ilícito fiz contra você e ninguém.

Particularmente, sempre entupo o Judiciário de ações quando vejo qualquer direito meu ser ameaçado ou desrespeitado. Faça a mesma coisa mas, por favor, não me mande e-mails intimidatórios, bem escritos, que so demonstram a sua “duas caras”. Vá lá e faça o que achar que deve.

Se me acusar de qualquer coisa esteja pronto para provar, caso contrário o “feitiço vira contra o feiticeiro” (ou será a macumba vira contra o macumbeiro?), porque eu vou ao STF, se preciso for, para responsabilizá-lo.

Não estou minimamente interessado nas suas conclusões sobre mim, no seu julgamento sem o devido contraditório, a sua postura arrogante e draconiana de se arvorar juiz do meu karma. Se acha que fiz alguma coisa que o prejudicasse, procure os meios legais (ou os ilegais) e cobre de mim. Ficar de fofoquinha, de diz que me disse, em comunidades virtuais, escondido atrás de fakes não é coisa de homem. Dê a sua cara para bater como eu dou.

Você pode me difamar, caluniar, escarnecer, mas tenha certeza que quando isto chegar ao meu conhecimento e eu tiver provas sobre quem você é o chamarei às barras do Tribunal. Assim fiz e ainda faço, inclusive com um imbecil de Pernambuco, de nome Eduardo Mendes, que tentou me extorquir e está respondendo por isto criminalmente, dentre outros.

Não temo mestres, feiticeiros, macumbeiros, alabés e puxa-sacos em geral.

Se fossem realmente “gran coisa”, como diria meu falecido tio Antônio, já teriam me derrubado há muito tempo. Continuo de pé, livre de corpo e alma, com a minha consciência tranquila e disposto a encarar qualquer confusão, seja ela no campo espiritual ou físico. Então, aja mais e fale menos. Quem gosta muito de fofoca e conversa fiada é maricas, não homem.

Sempre disse que a Justiça é uma faca de dois gumes.

Tanto corta para mim quanto para você. Portanto, se vai me acusar de algo tenha certeza que conseguirá me condenar, me colocar no fundo de uma cela, pois caso contrário será a minha vez de tentar. Não venha com papo furado e nem mande recados: AJA !!!

Suas opiniões, conclusões não me interessam, inclusive se forem sobre mim. Se vai ou não divulgá-las será por sua conta e risco, mesmo porque, como já disse, não as temo minimamente. Mas não se esconda atrás de um “piccolino” qualquer. Seja homem e, como eu disse, dê a sua cara para bater. O seu direito em falar o que quiser de mim é igual ao meu de processá-lo, inclusive criminalmente.

Por fim, não tente me intimidar de nenhuma forma.

Não sou filho de canário assustado e nem me escondo atrás de títulos, fardas, diplomas, instituições, seja ela a OAB ou a “Scuderie Le Cocq“. Você anda armado, é metido a matar, fazer e acontecer, tenha em mente que todo mundo que pode matar também poderá morrer. Todo mundo que acusa, também poderá ser acusado.

Não sou fácil de ser intimidado e, com certeza, não sou de intimidar ou vir com emails longos, bem escritos, com citações de falas de filmes famosos. Eu simplesmente, ajo.

Sou o lobo e não a ovelha.

Anúncios