FTU inaugura a Pós-modernidade na Umbanda – Aproximando o Saber Acadêmico do Religioso”. Com este tema, fomos “brindados” com outro pronunciamento de Francisco Rivas Neto (Arapiaga) via internet. Quem acessou o site da FTU ontem e não tinha nada melhor para fazer, viu um Riva Neto, como sempre, tropeçando nas palavras, se perdendo durante a fala, querendo falar sobre um assunto (Pós-Modernidade) que, definitivamente, não domina. A impressão que passou é que decorou alguns nomes e conceitos básicos sobre o tema para a gravação do programa. Isto sem falar no amadorismo da gravação e a preocupação dele em apontar a todo momento uma cadeira vazia ao seu lado esquerdo. Estes pronunciamentos de Rivas Neto nada mais são do que uma forma dele alimentar o seu ego e estar em “cadeia internacional” semanalmente, sem falar na oportunidade de atacar os “mal fadados” (conforme se expressa) cursos ministrados por Rubens Saraceni.

:::::::::::::::::::

E a polêmica sobre a excomunhão da equipe médica e da mãe da criança de nove anos que teve a gravidez de gêmeos, fruto de estrupro por parte do padrasto, interrompida com autorização da Justiça. Depois da campanha “Então me Excomungue”, foi a vez dos católicos se manifestarem contra a postura retrógada do Bispo de Recife e Olinda, Dom José Cardoso Sobrinho, em relação ao caso e lançarem um abaixo-assinado repudiando a excomunhão dos envolvidos. Com o título de “Nosso Manifesto – Católicos Conscientes”, os fiéis da Igreja Romana falam sobre ética, dignidade e postura cristã. Aqueles que quiserem assinar podem acessar através deste link.

::::::::::::::::::::

Ainda sobre a tal excomunhão: se o Direito Canônico determina a excomunhão automática de quem pratica o aborto (Can. 1398 — Qui abortum procurat, effectu secuto, in excommunicationem latae sententiae incurrit. Em língua pátria, o cânon 1398 do Código de Direito Canônico: Quem provoca o aborto, seguindo-se o efeito, incorre em excomunhão latae sententiae.), com a justificativa de que prima pela preservação da vida humana, por que será que não há previsão de pena semelhante para homicídas em geral? Já que o princípio é punir aquele que tira a vida de um inocente, deveria a excomunhão automática se estender para qualquer um que cometa homicídio doloso e outros crimes bárbaros, dentre ele o estupro de menores. Apenas para ilustrar, o termos “latae sententiae” significa “sentença oculta” e ocorre independente de declaração de quem quer que seja. A pergunta (outra) que ficar é: se a excomunhão é automática, qual o objetivo do estardalhaço feito pelo “bom velhinho” Bispo Dom José Cardoso Sobrinho?

:::::::::::::::::::

O MPF-SP (Ministério Público Federal em São Paulo) ajuizou uma ação civil pública contra a Rede Record e a TV Gazeta pedindo indenização no valor de, respectivamente, R$ 13.600.000,00 e R$ 2.424.300,00, pela suposta discriminação das religiões de origem afrobrasileira na programação das emissoras. De acordo com a Procuradoria, programas religiosos exibidos nas redes de TV utilizam há anos expressões que discriminam religiões como umbanda e candomblé, tais como “encosto”, demônios, “espíritos imundos”, “feitiçaria”, além da famigerada “macumba”. Para a procuradora regional dos Direitos do Cidadão Adriana da Silva Fernandes, autora da ação, as emissoras não estão imunes de responsabilidade sobre programas feitos por produtoras independentes.
Anúncios