Não há como negar que a internet vem mudando muitos conceitos, destruindo barreiras, criando “moda” e hábitos, enfim, uma verdadeira revolução social. Dentre estas modificações vemos que o conceito de copyright vem perdendo espaço para o do copyleft, ou seja, disponibilização de informação, seja de que tipo for de forma ampla, irrestrita e gratuita.

Em princípio, acredito que seja válido que as barreiras restritivas dos direitos autorais venham caindo e sendo revistas pelos seus detentores. Assim como aconteceu com o advento do video-cassete, do dvd, dos gravadores de mídia e, mais recentemente, os equipamentos do tipo full hd e blue ray, as grandes companhias, em especial que trabalham com aúdio e video, sempre se adaptaram as modernidades e continuaram lançando suas músicas e seus filmes.

Tenho certeza, que apesar do aparente descontrole diante de milhares de downloads diários de material protegido pelo copyright, elas, como no passado, se adaptarão melhor à esta realidade.

Por outro lado, em especial da parte daqueles que se dizem religiosos, deve haver um mínimo de ética e bom senso quando se trata de textos e outras obras fruto do intelecto de outras pessoas. É importante que nós, “blogueiros”, em especial os que tratam de assuntos religiosos, sempre tenham o cuidado de citar fontes, bibliografias, autores, enfim, todo o material em que, porventura, tenhamos nos baseado para escrever nossos textos.

No meu caso, apesar de ser um cara odiado, considerado polêmico, ácido, encrenquinha, invejoso, e outras coisas mais, tenho visto meus textos se multiplicando por listas de discussões, comunidades virtuais, revistas e outros blogs. Fico satisfeito, honrado até, com isto já que minhas idéias, ao que parece, estão sendo bem recebidas e, no mínimo, têm feito muita gente pensar.

De toda forma, aquele que lê e divulga meus textos não deve encontrar dificuldade alguma em citar a fonte e, principalmente, o autor dos mesmos. O blog está muito bem sinalizado quanto a isto, deixando claro que todo texto aqui publicado é de minha autoria, exceto aqueles que haja, explicitamente, menção de autor diferente. Não justifica que ninguém publique um texto meu em seu próprio blog/site e venham dizer que desconhece quem seja o autor.

Já encontrei textos e adaptações que fiz em outros blogs, sendo que alguns, na maior cara-de-pau, se autocreditam a autoria e ficam por ai, como dizia Matta e Silva, com ares de “bolo fofo balofo” alimentando seus egos e, como no caso da Revista Espiritual de Umbanda (que estou processando por uso indevido de um texto meu), ganhando dinheiro às custas da criação intelectual alheia.

É muito simples, cômodo e barato criar um site/blog/revista com material de terceiros que se “garimpa” pela internet, como é o caso da Revista Espiritual de Umbanda onde, pelo menos, 50% das matérias são simples copy and past de sites e blogs e, como aconteceu comigo, nem sempre os devidos créditos são publicados.

Não quero fazer prosélitos e defensores de minhas idéias, tanto que não cito nem mesmo os meus “filhos-de-santé”, assim como não permito comentários ou e-mails à mim (apesar de que muitos leitores conseguem o endereço por outros meios, seja tentando e-mails de postagens antigas em listas ou usando de certa “veia” investigatória) exatamente para não haver como nenhum paspalho a acusar-me de “auto-promoção” afim de auferir algum tipo de vantagem.

Não coloco anúncios ad sense do Google, não estou vendendo nada e, como já disse centenas de vezes, não procuro seguidores ou discípulos.

Por outro lado, não é porque não lucro (e nem pretendo) com meus textos que outras pessoas farão isto, simplesmente porque estão aqui disponíveis. E não falo somente de lucro financeiro, mas também de outras vantagens à título pessoal.

Então, para deixar (mais) clara ainda esta questão, quero informar aos interessados em publicar textos meus que observem os seguintes:

1) TODOS os textos deste blog, exceto aqueles com menção contrária expressa, são de minha autoria.

2) A publicação dos textos é livre e gratuita, desde que seja citada a fonte, nome do autor e o site/blog/revista/periódico não tenha fins comerciais. Caso contrário, somente com a minha expressa autorização por escrito e pagamento pelo uso.

3) A menção deve ser feita da seguinte forma, conforme norma da ABNT:

MACHADO, RICARDO. Título: subtítulo (se houver). Blog “Ouvindo as Vozes de Aruanda”, dia. mês(es) abreviado(s). ano. . Data de acesso: dia. mês(es) abreviado(s). ano

Espero que todos aqueles que lêem este blog, assim como os outros centenas de milhares que existem, observem sempre a ética e a importância em divulgar os textos citando a autoria e a fonte. Assim, os autores ficam motivados com o reconhecimento do trabalho, continuam produzindo e todos os envolvidos ficam distantes do Judiciário evitando longos e tediosos processos de reparação por danos morais e materiais.
Anúncios